Make your own free website on Tripod.com
 
 

 
 


by YuMi DeAth

 

Capítulo 25 - A ausência de Hagrid

Na manhã seguinte, Harry tomava café da manhã em silêncio. Ele contara ontem à noite o que ouviu da conversa dos dois irmãos Averys. Na verdade, Harry sentiu um certo receio sobre as suas intuições. Íris, em vez de ajudar, poderia muito bem prejudicar mais ainda o irmão.

Harry percorreu a mesa da Sonserina com os olhos procurando por Íris, mas não obteve sucesso. Ele fez o mesmo com a mesa da Grifinória, a procura de Ícarus. Nem sinal dele também.

Hermione tomava o seu suco de abóbora quando Cho chegou ao seu lado, dando bom dia e se dirigindo a Harry:

- Harry... - o garoto sorriu para ela, o que fez Hermione quase engasgar com o suco. - Você... vai querer estudar hoje?

Rony mastigava o pão com a maior rapidez possível, fazendo força para não rir.

- Vou... - respondeu Harry, não percebendo que muitos alunos da Grifinória olhavam para ele. - Er... no mesmo horário, pode ser?

- Claro! - Cho respondeu. - Bem, então a gente se encontra na biblioteca...

Cho se afastou e correu para sentar-se na mesa da Corvinal. Harry a admirou por alguns segundos, mas seu sonho se desfez quando ele voltou para o seu café da manhã e encontrou olhares dos grifinórios que estavam ao seu redor. Seu rosto corara levemente, e ele buscou se esconder, abaixando a cabeça, ou permanecer concentrado, olhando para seus amigos Rony e Hermione.

Os dois, por sua vez, não estavam ajudando em nada. Rindo, eles deixavam Harry mais envergonhado ainda.

- Estou vendo que não precisei me esforçar muito para fazer você estudar para os testes dos N.O.M's, não é mesmo, Harry? - Hermione dizia ironicamente. - Agora, resta a eu achar um motivo para fazer o Rony estudar.

- Se for para ficarmos na biblioteca, perto da mesa onde Harry e Cho estarão, eu até topo! - respondeu Rony, soltando uma gargalhada em seguida.

Harry ficou sem resposta. Apesar de estar constrangido com todos os comentários, ele buscou se divertir com eles. Não era mentira todas as insinuações que eram lhe dirigidas; mas Harry achava que tudo isso estava já cansando. Ele sentia falta de conselhos; de alguém que pudesse orientá-lo para situações como essa. Era a primeira vez que se sentia atraído intensamente por uma garota, e ele não sabia como agir.

Ele até pensou em conversar a sós com Rony, mas tinha receio do que ele poderia dizer. Já não agia certo em relação aos sentimentos dele, em relação a Mione, imagine ele lhe dando conselhos certos sobre esses assuntos. O mesmo valia para Hermione, apesar de ser tão aplicada aos estudos e responsável.

Depois de tomar café, eles teriam aula de Herbologia. Os estudos na estufa quatro estavam progredindo; Harry teve que analisar as reações de plantas carnívoras, devoradoras de animais pequenos. Os alunos do quinto ano teriam que levar pedaços de carne e sobras no café da manhã para jogá-los nas jaulas onde as plantas estavam isoladas e anotar todas as reações que provocariam nestes seres.

Quando a aula acabou, eles teriam um intervalo vago, e Harry propôs aos amigos:

- Podíamos visitar Hagrid... Faz muito tempo que a gente não aparece por lá.

Rony e Hermione entreolharam-se.

- O que foi? - Harry quis saber o motivo de silêncio dos dois.

- Faz muito tempo que você não aparece por lá, Harry. - disse Hermione. - Nós fomos semana passada.

Harry não discutiu com eles. Era certo que, todo esse tempo que ele ficou isolado nem sequer fez uma única visita a Hagrid. Imaginava o que ele estaria pensando agora.

Os três correram até a orla da floresta e chegaram à cabana do guarda-caça. Hermione bateu na porta três vezes, e nada além do latido de Canino respondeu.

- Acho que ele não está... - concluiu Rony.

- Onde ele estaria? - Hermione perguntou, observando toda a sua volta. - Quero dizer, se estivesse dando aula, ele deveria estar por aqui...

- Vamos voltar mais tarde. - sugeriu Harry. - Quem sabe, no horário de almoço, a gente não o encontra no salão... Aí, marcamos de fazer uma visita pra ele!

Rony e Hermione concordaram, balançando a cabeça. Então, eles voltaram para o castelo, e decidiram adiantar algumas tarefas.

* * *

No horário de almoço, Harry olhava diversas vezes para a mesa dos professores. O lugar de Hagrid estava vago; e ele achou estranha a sua ausência.

- Onde vocês acham que ele está? - perguntou Harry para Rony e Hermione.

- Não sei. - Hermione respondeu, ao mesmo tempo em que Rony sacudiu os ombros. - Acho que vou perguntar a Profa. McGonagall. Hoje à tarde, depois do segundo período de aulas haverá uma reunião entre os monitores e diretores das casas. Aproveitarei para descobrir por onde ele anda.
Milhares de corujas romperam o salão e trouxeram as correspondências. Harry não se surpreendeu ao ver que nenhuma carta chegara a ele. Rony recebeu o Profeta Diário e Hermione, além do jornal, recebeu uma carta com uma rosa vermelha.

Rony encarou a amiga, e Hermione parecia que estava com medo de abrir a carta na frente de todo mundo.

- Carta do namorado, Hermione? - Parvati perguntou, dando risadinhas.

Hermione não respondeu. Ela pegou a carta e, sem abrir, a guardou no bolso interno de suas vestes e colocou a rosa em um canto da mesa, para não correr o risco de amassá-la.

- Carta do Vítor Krum, Mione? - Rony disse, com uma pontada de ciúme. - Por que não lê agora, na frente de todos os seus colegas?

Harry olhou para Rony e percebeu que ele estava ficando furioso. Ao seu redor, quase todos os alunos, não só da Grifinória, mas também de outras casas, se espantaram com o tom de voz de Rony.

- Está com vergonha de mostrar que o seu namorado é o apanhador da Bulgária? - Rony aumentou mais a sua voz, fazendo até os professores ouvirem. - Leia, Hermione, e vamos ver o quanto Vítor Krum é romântico!

As bochechas de Hermione coraram. Ela estava sem reação, e Harry evitou que Rony se levantasse e falasse mais coisas.

A Profa. Lies fez algum comentário com Snape, que estava do seu lado, e para a surpresa de Harry, ele sorriu. Lies riu com vontade, assim como Dumbledore. McGonagall manteve-se séria, como a maioria dos professores.

- Vamos, Hermione! - Rony falava, mesmo com Harry fazendo força em cima de seu ombro, evitando que ele levantasse. - Todo mundo quer saber o que o famoso apanhador da Bulgária escreve para a sua namorada!

Hermione levantou, e falou em um tom de voz mais alto do que Rony:

- O que ele escreve para a namorada não é da sua conta, Rony. E não é da conta de ninguém também!

A monitora da Grifinória pegou a rosa que havia depositado em cima da mesa e saiu do Salão, deixando todos os alunos comentando sobre a cena. Os professores não fizeram nada quanto a isso, pois logo o assunto se encerrou, e até o fim do almoço, ninguém mais comentou sobre Hermione e Krum. Somente Rony, que ainda bufava de raiva e xingava Vítor Krum de todas as maneiras possíveis. Quem o visse daquele jeito, jamais pensaria que, um dia, ele fora fã do jogador de quadribol.

* * *

Harry jogava os ingredientes para a poção de cura de ferimentos leves no caldeirão e mexia distraidamente. Não pensava nisso; ele passara a aula inteira, atento aos movimentos de Íris e vendo se ela fazia alguma coisa errada. No entanto, ela nem sequer o olhou, e Rony, que estava ao seu lado, continuava a falar mal de Krum, esgotando o seu dicionário de ofensas.

- Está espesso demais, Potter. - Snape disse, fazendo com que Harry voltasse a atenção para o seu caldeirão. - Cinco pontos a menos para a Grifinória.

Harry jogou mais um pouco de água, encarando com raiva o professor de poções.

- Imagino que os seus estudos com a Srta. Chang na biblioteca não esteja surtindo efeito nas minhas aulas... - Snape comentou, atraindo a atenção de todo mundo, principalmente dos alunos da Sonserina. - Devo aconselhá-lo, Potter, para mudar o seu método de estudo com a sua namorada.

Algumas risadas vinham do lado dos alunos da Sonserina.

- Cho não é a minha namorada! - Harry retrucou.

- Ah, não? Não me parecia, pelo o que eu vi ontem na biblioteca. Talvez eu deva avisá-lo novamente que namoros não são permitidos em horário de estudos!

Mais risadas dos sonserinos. Snape sorriu maliciosamente para Harry, com satisfação de ter o humilhado mais uma vez. Harry manteve-se firme, e com muito esforço, ele permaneceu calado.

Snape andou até o caldeirão de Neville, mas não teve nenhuma crítica a fazer; Hermione aproveitou enquanto o professor debochava de Harry e consertou a poção. Mesmo assim, Snape anotava alguma coisa em seu caderno, e olhava intensamente para a poção de Neville, dizendo:

- Conseguiu fazer a poção sozinho ou a Srta. Sabe-Tudo-Granger o ajudou, Longbottom?

Neville começou a gaguejar. Suas pernas tremiam, e ele mal conseguiu responder alguma coisa.

- Dez pontos a menos para o senhor e para a Srta. Granger. - e virou para Hermione. - E a senhorita, na próxima aula, quero que sente do lado oposto a Longbottom. Se eu a ver novamente perto dele, não vou descontar apenas pontos de sua casa, mas também, de sua nota, além de lhe aplicar uma detenção!

Hermione corou mais uma vez e tentou se concentrar na sua poção. Rony, que até então estava com raiva de Hermione, passou todo o seu ódio para Snape, e Harry tapou a boca dele antes que falasse alguma coisa imprópria para aquela situação.

No final da aula, Harry arrumou rapidamente as suas coisas e correu até a biblioteca. Faltava ainda meia hora, mas ele decidiu se adiantar para se organizar, antes que Cho chegasse. Rony o acompanhava, até o caminho que separaria a Torre da Grifinória com a biblioteca.

No meio do caminho, Hermione vinha correndo, alcançando-os. Despedindo-se apenas de Harry, e saiu em disparada na frente, mal olhando para Rony.

- Por que implica tanto com Hermione, Rony? - Harry perguntou, quando Mione já estava bem longe.

- Porque ela não enxerga o que está ao redor dela... - ele respondeu, de cabeça baixa. - Bem, até mais, Harry! Bons estudos!

Rony saiu correndo em direção à Torre da Grifinória. Harry seguiu as escadas em direção à biblioteca, pensando no que Rony acabara de dizer.

"Talvez ele não seja tão imaturo quanto pensei. Ele deve estar esperando alguma chance para conversar com Hermione."

* * *

Harry não tentara se aproximar mais de Cho. Os dois apenas estudaram Poções, e mal falavam em outra coisa a não ser ingredientes de asfódelos ou ervas exóticas. Cho o advertiu que Snape sempre pede para fazer poções rápidas e, se cair um miligrama a mais da quantidade pedida, a poção pode ser dada como inválida. Eles ficaram apenas a estudar os ingredientes necessários para as principais poções e decidiram que marcariam um dia para uma aula prática.

Os dois saíram da biblioteca e Harry acompanhou Cho até as escadas que levariam para o Salão Comunal da Corvinal, carregando além do seu material, o material dela.

- Amanhã estudaremos Astronomia. - Cho disse, enquanto pegava os livros dela que estavam com Harry. - É uma matéria teórica e não haverá problema para aulas práticas... Podemos até marcar um dia, de subirmos para vermos as estrelas.

- Certo... - respondeu Harry, vendo a garota se preparando para descer as escadas.

- Ah, Harry! - ela se virou novamente e disse. - Esteja preparado para semana que vem, viu?

- Semana que vem?

- Ué, Harry... A Corvinal vai jogar contra a Grifinória no próximo sábado... O capitão do seu time não avisou?

* * *

No Salão Comunal da Grifinória, Harry encontrou Rony jogando snap explosivo com Fred, Jorge e Lino. A sua primeira reação foi correr até Fred e falar para ele:

- Por que não me avisou, Fred?

- Avisar o quê?

- Do jogo de sábado que vem...

- Fred avisou todo mundo, Harry. - Jorge respondeu pelo irmão. - Todos que compareceram nos treinos...

Harry ficou quieto. Se antes ele achava que o seu isolamento iria ajudar em muitas coisas, agora ele via o quanto o prejudicou.

- Quando será o próximo treino? - Harry perguntou.

Por um momento, Harry achou que tomaria o maior sermão de sua vida. Os gêmeos amarraram a cara, deixando até mesmo Rony e Lino com medo. Mas logo, os dois abriram um sorriso, e Fred respondeu:

-Eu estava me perguntando quando é que o apanhador da Grifinória vai resolver sair de sua meditação e voltar aos treinos... - e riu. - Bem, vejo que temos um pouco mais de uma semana antes do jogo contra a Corvinal... Vamos ter que marcar os treinos para todos os dias...

- 'Cê deve tá brincando! - Jorge exclamou. - Uma semana inteira de treino! Você tá pior do que o Wood!

- Não... - Fred respondeu, fazendo cara de malvado.- Wood jamais faria isso. Ele seria menos rígido que eu. Vocês não perdem por esperar! - e soltou uma gargalhada forçada.

Rony e Lino caíram na risada, e Jorge aproveitou e fez um comentário:

- Quem não perde por esperar é você, Harry! Tsk, tsk... Faltou mais de um mês nos treinos e você não tem noção do que Fred tá fazendo com o time inteiro!

Harry arregalou os olhos.

- Não se preocupe, Harry! - Fred disse. - Eu apenas torturo os jogadores, caso eles falham. Penduro eles de ponta cabeça e os deixo debaixo d'água, e faço a contagem para ver quanto tempo cada um consegue ficar sem respirar.

Todos riram. Harry sentou-se com os demais para jogar umas partidas de snap explosivo, e só parou quando Hermione entrava pela porta.

- Harry, preciso falar com você.

Rony fingiu que não viu Mione e se concentrou em olhar apenas para as cartas. Harry levantou e acompanhou a amiga até outro canto do Salão.

- Eu falei com Dumbledore sobre Hagrid. - ela disse em voz baixa, evitando que os outros ouvissem. - Ele disse que Hagrid saiu para cumprir uma missão.

- Missão?!

- É, foi o que ele disse. Mas não quis entrar em detalhes. Disse que Hagrid só volta para aplicar os exames finais.

- Como é que é? E as aulas deles?

- Bem, creio eu que alguém vai substituí-lo...

Harry olhou para Rony, que não tirava os olhos de onde ele e Hermione estava. Harry pensou em comentar alguma coisa sobre Rony com Mione, mas ela se antecipou, fazendo um ar de quem acabou de se lembrar de algo:

- Ah. Harry! Eu falei também com Dumbledore sobre a carta de Sirius.

- Sim, e o que ele disse?

- Disse que não sabia de carta nenhuma. Não mandou Snape entregar nada a você.

* * *

Com a ausência de Hagrid, os alunos passaram a ter aula de Trato de Criaturas Mágicas com a Profa. Kirken, uma experiente no ramo, contratada temporariamente por Dumbledore. Ela usava vestes simples, cabelos louros curtos e ondulados. Uma senhora de uns 40 anos, que falava com calma, e possuía muita elegânica. Ela realmente não era nenhuma louca como Hagrid de deixá-los criar hipocampos, e ela tratou apenas de mostrar aos seus alunos criaturas fantásticas como o Pégaso.

O cavalo alado era montado por ela com tanta elegância, e ela o domava tão bem e que não havia nenhum problema dos alunos chegarem perto.

- O Pégaso é um animal mitológico para os trouxas. - a professora explicava, acalmando o animal e chamando os alunos para chegarem mais perto. - Para os gregos, o Pégaso nasceu da luta de Perseu contra a Medusa que, ao ter a sua cabeça cortada, nasce o cavalo alado.

Mesmo sentindo a falta do guarda-caça, Harry não podia reclamar da aula que estava tendo. Draco parecia mais feliz com a saída de Hagrid, e prestava atenção na aula com tanta vontade, que Harry teve a vontade de dar um soco na cara metida dele.

Hermione anotava tudo com tanta rapidez que não queria perder uma vírgula sequer. Rony ficou admirado quando ele, Simas e Neville puderam montar no Pégaso, que nem se preocupou com a briga que teve com Hermione e a ajudou a subir também.

- O segredo do Pégaso é saber tratá-lo bem. - a Profa. Kirken continuou. - Se o tratar como um simples animal domesticado, ele poderá recusar a sua montaria. Devemos tratá-lo como um amigo.

Harry também teve a oportunidade de subir, e junto com ele estava Íris. Ela segurou na sua cintura quando o Pégaso deu um impulso e voou, ficando apenas a três metros do chão, obedecendo a ordem da Profa. Kirken. Íris abaixou a cabeça e encostou-a no ombro de Harry, fazendo com que este se surpreendesse com o gesto da garota. O Pégaso ainda estava suspenso no ar, quando ela sussurrou em seu ouvido:

- Obrigada por me avisar sobre o meu irmão, Harry.

Harry balançou a cabeça, mas não disse nada. Ela, por sua vez, ainda continuou:

- Obrigada também por confiar em mim...

- Eu apenas queria ajudar o seu irmão... - Harry respondeu, ainda olhando para a frente.

- E o ajudou quando me chamou.

O cavalo alado descia calmamente, pousando com leveza sobre o chão. Harry desceu do cavalo, e ajudou Íris a fazer o mesmo. Antes de ela voltar a se juntar com os alunos da Sonserina, disse, segurando firme o braço dele:

- Estou com a sua capa da invisibilidade. Hoje, antes de ir para a biblioteca estudar com Cho, me encontre em frente da Sala dos Troféus. Vou devolvê-la, antes que me acuse de estar aproveitando-a e utilizando-a para benefício próprio.

Harry iria responder, mas logo a Profa. Kirken os afastou e conduziu um novo grupo de alunos para montar no Pégaso também.

Enquanto via Draco, Crabbe, Goyle e Pansy subindo à montaria do Pégaso com dificuldade, Harry deu um jeito de se aproximar mais do grupo da Sonserina, mais precisamente de Íris. Só que Rony e Hermione vieram ao seu encontro, e o impediu a passagem.

- Ela é realmente incrível! - Hermione comentou, sem tirar sua visão do cavalo alado. - Isso é fascinante, Harry! O que você acha?

- É... - Harry concordou, procurando Íris no meio dos alunos. A garota estava atenta ao Pégaso, e não percebeu que estava sendo observada. - Realmente...

- Isso me lembra quando montamos no Bicuço, Harry! - disse Hermione. - Lembra?

- Lembro... - respondeu Harry, meio sem saber do que Hermione estava falando.

- Ainda prefiro as aulas do Hagrid. - disse Rony. - Mas é inacreditável que ele só goste de animais perigosos...

- É... - Harry agora voltava a atenção nos amigos. - Realmente, é uma aula e tanto...

Hermione não percebeu no desinteresse do amigo, pois continuava a prestar atenção nas explicações que a professora ainda dava. Rony estava tentando uma reaproximação da amiga, e Harry tentou ajudá-lo, dando espaço para ele ficar do lado da monitora da Grifinória.

Quando a aula terminou, os comentários sobre a aula da Profa..Kirken eram bastante excitantes, e todo mundo pareceu gostar mais dela do que Hagrid. Harry sentiu uma pontada de dó quanto a isso. Hermione ficou fascinada pela aula, mas nem sequer tentou comparar a aula de hoje com as outras de Hagrid. Pelo menos, Hermione pareceu esquecer do desentendimento que teve com Rony e os dois voltaram a se falar.


>>Ir para o próximo capítulo

<<Voltar para o capítulo anterior

*Voltar para o Índice*


*§*YuMi DeAth*§*
Webmaster®